A governança tem 5 dimensões: cultura organizacional e práticas de gestão; sustentabilidade financeira; direitos dos associados; conselhos de clube (administração, deliberativo e fiscal); e auditoria externa e independente. Cada um desses itens contempla várias sugestões e práticas que visam a um maior nível de qualidade da governança.

No SPAC agora seguímos um modelo de governança corporativa específico para clubes que pode melhorar a gestão interna.

A governança corporativa envolve todos os mecanismos e práticas de direção e controle em uma organização. Sua origem veio da tentativa de solucionar os chamados conflitos de agência, originados pela separação, nas organizações, entre propriedade e controle: quem é o dono / quem administra.

Transparência

“São muito comuns as notícias sobre problemas administrativos nos clubes, como má gestão e endividamento, principalmente no Brasil. Isso acaba levando a crises de credibilidade”, lembrando que existe todo uma maior conscientização por parte dos praticantes exigindo maior transparência e organização dos clubes.  O SPAC acredita que a legitimidade, a gestão eficiente e a sustentabilidade financeira são alguns mecanismos que ajudariam a melhorar esse quadro.

Ressaltamos que não é a formatação jurídica, como clube empresa, que traz a excelência administrativa. “A gestão mais profissionalizada envolve especialistas com preparo, experiência e que podem se dedicar a esse trabalho em tempo integral. Esse é um dos fatores que podem trazer êxito para a administração do clube”.

Certidões

1 – Certidão negativa débitos trabalhistas (FGTS) – Associação – 2019.07.14

2 – Certidão negativa tributos federais e dívida ativa – Associação – 2019.07.14

3 – Relatorio_CertidaoNegativa_2019-07-29_115810

4 – Certidão negativa de débitos tributários não inscritos na dívida ativa do Estado de São Paulo – Associação 2019.07.04

5 – Certidão negativa débitos trabalhistas (TST) – Associação – 2019.07.14

Estatuto